Exposição virtual - O CAFÉ ALÉM DE UMA XÍCARA

Museu Histórico e Pedagógico “Bernardino de Campos” 

Exposição virtual  

O CAFÉ ALÉM DE UMA XÍCARA 

Reminiscências do ciclo áureo do café em Amparo

 

café (3)

 Realização:

Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (SMCT)

Prefeitura Municipal de Amparo - Estância Turística

Circuito das Águas Paulista

Curadoria: Rogério Nicoleti e Juçara de Godoy

 

 

          Por volta de 1830, o café foi assumindo a primazia de nossa economia, até Amparo se tornar, durante alguns anos do século dezenove, o maior produtor de café do mundo. A transformação da agricultura de subsistência no cultivo intensivo de café gerou grande prosperidade em meados do século XIX, que se consolidou com a chegada dos trilhos da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, chegando ao ponto de a cultura cafeeira ocupar a quase totalidade do município no começo do século vinte, até a crise mundial de 1929, cujas consequências nefastas todos conhecemos, pois, quando a Bolsa de Nova York quebrou, em 29 de outubro de 1929, o Brasil estava despreparado para enfrentar o terremoto financeiro que se seguiu. O caos foi geral: o comércio cerrou as portas, os fazendeiros entregaram seus bens, a indústria despediu os empregados, os bancos “quebraram”.

Amparo foi, talvez, a cidade que mais sofreu no país, pois estava começando a se industrializar, mas sua economia ainda era predominantemente baseada no café. Centenas de fazendas mudaram de mãos, milhares de pessoas ficaram desempregadas, comércio e indústria suspenderam os pagamentos. Foi um caos que Amparo soube enfrentar e superar, atuando em diversas frentes, inovando e se adaptando aos novos tempos, mas sempre mantendo viva e forte a cultura do café, como esta reunião de hoje bem o comprova.

A produção de café, em nossa região, abrange, atualmente, os municípios de Águas de Lindóia, Amparo, Lindóia, Monte Alegre do Sul, Serra Negra e Socorro.

No tocante ao Turismo, o Consórcio do Circuito das Águas Paulista congrega os municípios de Águas de Lindóia, Amparo, Holambra, Jaguariúna, Lindóia, Monte Alegre do Sul, Pedreira, Serra Negra e Socorro.

Portanto, a Cafeicultura tem um peso histórico e cultural significativo no município de Amparo e região, o que se reflete na arquitetura do município - a antiga Mogiana, com suas estações urbanas e rurais ainda presentes, e o aspecto cultural com influência do período escravagista e da imigração italiana, somando-se a isso uma produção significativa de café arábica.

Esta exposição “O café além de uma xícara” exibe itens relacionados ao café (desde ferramentas, maquinários até as mais finas porcelanas) que integram o acervo do Museu Histórico e Pedagógico “Bernardino de Campos”.

É preciso louvar a destacada atuação do Sindicato Rural de Amparo, mas também ressaltar a colaboração da FAESP (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo), do SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), entre outras instituições igualmente importantes, além de inúmeros produtores locais, que contribuíram e contribuem para agigantar, ainda mais, a cultura do café, levando o nome de Amparo para todo o Brasil e até para o Exterior.

Um dos grandes produtores de café da atualidade, no município de Amparo, é o empresário da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, que, numa fazenda centenária de sua propriedade, a Fazenda Ycatu, tem ampliado, desde 2015, a comercialização do café gourmet cultivado em sua propriedade - o Celebrity Coffee -, produto esse que pode ser degustado nos paddocks dos GPs ao redor do mundo, assim como em seletos hotéis.