GCM orientou pais e crianças sobre o trânsito

GCM orientou pais e crianças sobre o trânsito

Publicado em 12 de Agosto de 2017 às 12h21 Última alteração feita em 12 de Agosto de 2017 às 12h21

Categorias:

 

A GCM - Guarda Civil Municipal de Amparo realizou na tarde de terça-feira, 9/8, ações preventivas e de conscientização no trânsito voltadas a crianças. A ação é parte do Criança Segura, que ocorre em todo o Brasil.

Os trabalhos foram concentrados na CIME Peter Pan, com a GCM orientando pais e crianças sobre dicas para evitar acidentes.  De 2014 para 2015, o número de mortes por motivos acidentais de crianças e adolescentes de zero a 14 anos caiu 10% no Brasil, passando de 4.319 óbitos registrados para 3.885. Essa é a maior queda registrada nesse indicador desde que a Criança Segura começou a atuar no país, em 2001. Ao longo desses 16 anos de atuação, o número de mortes acidentais de crianças caiu 37,24%.

As internações de crianças e adolescentes dessa faixa etária, por sua vez, caíram 1,94% de 2015 para 2016, saindo de 119.904 casos para 117.577.

Entre os acidentes fatais, os tipos que apresentaram maior queda nos óbitos, em números absolutos, foram os acidentes de trânsito, que passaram de 1.654 mortes em 2014 para 1.389 em 2015 (redução de 16,02%), e os afogamentos, que caíram de 1.045 casos para 943 nesse período (queda de 9,76%).

Trânsito

De 2001 a 2015, o número de mortes de crianças no trânsito caiu 42%. Apenas de 2014 para 2015, esse número apresentou uma redução de 16,02%. Entretanto, apesar da grande diminuição, essa continua sendo a principal causa de morte acidental entre pessoas de zero a 14 anos no Brasil.

Em 2015, os acidentes de trânsito que mais vitimaram crianças dessa faixa etária foram acidentes de carro (34%); atropelamentos (30%); moto (10%); bicicleta (6%) e outros (20%). Em 2014, os números para essas modalidades de acidentes eram de, respectivamente, 34%; 29%; 11%; 6% e 20%.

A maior parte das vítimas desse tipo de acidente foram  crianças com idade entre 10 e 14 anos. Somente nessa faixa etária, foram 588 mortes, o que representa 42,33% do total de óbitos de crianças e adolescentes registrados no trânsito.

Por outro lado, a faixa etária de cinco a nove anos foi a que apresentou a maior redução de mortes dentre todas as idades. Foram 26% menos casos fatais de um ano para o outro. Em números absolutos, a maior redução foi da criança nessa idade que perde a vida em um atropelamento, foram ao todo 53 casos a menos que em 2014. Já considerando a porcentagem de redução, a modalidade que mais caiu foi a de crianças que morrem na motocicleta, com redução de 32%.